Vida e Cultura Guarani
  • FASE III 2018 | 2019
    FASE III 2018 | 2019

    Dando continuidade aos projetos já desenvolvidos com os guarani no Rio Grande do Sul, o Projeto Ar, Água e Terra: Vida e Cultura Guarani, atualmente, em sua terceira fase (2018/19), tem como objetivo principal a recuperação, a conservação e o aumento da biodiversidade em sete aldeias guarani do Rio Grande do Sul.

    O Projeto visa a contribuir para o etnodesenvolvimento nas áreas indígenas através de atividades como encontros, trilhas e oficinas com aldeias; viveirismo, cultivo e plantio de espécies vegetais nativas utilizadas na alimentação, saúde, confecção artesanal e em cerimônias; intercâmbio de saberes, sementes e mudas entre as aldeias; e da “educação ambiental”, abrangendo práticas como reciclagem e compostagem.  

    O Projeto Ar, Água e Terra: Vida e Cultura Guarani realiza também o mapeamento e o geoprocessamento dos dados relacionados ao uso da terra nas aldeias para contribuir com a gestão territorial sustentável.

    O inventário das emissões e redução das emissões de gases de efeito estufa das atividades do projeto atingiu o total de mais de 37 mil tCO2e captadas, concedendo ao projeto o selo Carbono Zero®.

    A equipe de colaboradores do projeto é composta por indígenas e não indígenas de diversas áreas de formação e atuação. O Projeto utiliza uma metodologia de construção participativa, proporcionando a troca interdisciplinar e intercultural de conhecimentos, práticas e técnicas, sendo os guarani protagonistas e coexecutores das atividades. Os guarani intervêm quando as dificuldades surgem e a busca de soluções é conjunta, a partir das duas lógicas: índios e não-índios.

    As aldeias participantes do projeto estão localizadas em oito municípios do Rio Grande do Sul (RS): Caraá, Maquiné, Osório, Palmares do Sul, Porto Alegre, Riozinho, Torres e Viamão, abrangendo as regiões centro-leste, metropolitana e litoral médio e norte do estado, nas regiões fisiográficas de depressão central, encostas da serra e litoral do estado, nos Biomas Mata Atlântica e Pampa (Campos Sulinos).

    Aldeias participantes:

    • Teko’a Nhuu Porã (Aldeia Campo Molhado) – Caraá, Maquiné e Riozinho
    • Teko’a Ka’aguy Pau (Aldeia Vale das Matas) – Caraá e Maquiné
    • Teko’a Kuaray Rese (Aldeia Sol Nascente) – Osório
    • Teko’a Nhuu Porã (Aldeia Campo Bonito) – Torres
    • Teko’a Yriapu (Aldeia Som do Mar) - Palmares do Sul
    • Teko’a Anhetengua (Aldeia da Verdade) – Porto Alegre
    • Teko’a Nhuundy (Aldeia do Campo Aberto) - Viamão
  • Solstício de Inverno
    Solstício de Inverno

    No Hemisfério Sul, a noite desta sexta-feira, 21 de junho, é marcada pelo solstício de inverno e o início da nova estação. Na cultura guarani, a observação do céu e a posição das constelações coordenam sua percepção sobre a troca das estações. Tradicionalmente para os povos guarani, a entrada do inverno se dá quando a constelação do Cruzeiro do Sul forma uma cruz em pé apontando à direção Sul.

    #Iecam #Inverno #MeioAmbiente#ProgramaPetrobrasSocioambiental #Guarani#PatrocinioPetrobras #SolsticioInverno #Brasil#PovosIndigenas